Noções Morfológicas e Taxonômicas para Identificação Botânica

A identificação botânica é o primeiro passo para a pesquisa com plantas, pois os dados gerados devem ser ligados a um nome científico, para chegar a esse nome, os taxonomistas precisam analisar criteriosamente amostras da planta, compará-las com amostras previamente determinadas no acervo dos herbários e finalmente com a literatura especializada.

Para se coletar amostras vegetais, é preciso seguir metodologias específicas e os coletores devem ter noções gerais da morfologia, para que possam fazer as devidas anotações de campo que muito auxiliam no processo.

Coletânea básica penal 9 ed. 2019

Apresenta-se neste volume o texto de onze conjuntos normativos essenciais para o cotidiano dos operadores do Direito Penal.

Atualizada até janeiro de 2019, esta obra contém, entre outras normas: o Código Penal (Decreto-Lei nº 2.848/1940), a Lei das Contravenções Penais (Decreto-Lei nº 3.688/1941), o Código de Processo Penal (Decreto-Lei nº 3.689/1941), a Lei de Execução Penal (Lei nº 7.210/1984), a Lei dos Crimes Hediondos (Lei nº 8.072/1990) e a Lei dos Juizados Cíveis e Criminais (Lei nº 9.099/1995).

Figuram aqui também os dispositivos constitucionais relacionados a essas normas, além de um minucioso índice temático do Código Penal.

VIEIRA, Sônia. Introdução a Bioestatística

Bioestatística é a Estatística aplicada às ciências da saúde. Profissionais e alunos dessas áreas querem aprender técnicas estatísticas porque elas são muito usadas na pesquisa, como bem mostra a literatura especializada. Mas Estatística é ciência complexa, que não se aprende com a simples busca de um termo na Internet.
É difícil aprender Estatística? Sim e não. Aprender a fazer cálculos estatísticos usando programas de computador não é difícil, embora exija tempo, interesse e atenção. Entretanto, a condução e a avaliação de uma pesquisa dependem, em boa parte, do conhecimento do pesquisador sobre as potencialidades e as limitações das técnicas utilizadas. E entre o cálculo e a interpretação do resultado há um caminho a percorrer.

BERISTAIN, Antonio. A nova criminologia

Em algum ponto do infinito desconhecido, achar-se-ão carti­lhas, porque são comuns os livros de autores latino-americanos prefaciados por europeus, mas o inverso é tão estranho que quase
pertence ao inexplicável. Essa rara honra confere-me o professor Beristain, e, por certo, trata-se de uma distinção que – sem falsa modéstia – não creio merecer. Pode-se afirmar que supõe uma
transgressão, o que por hora chamará a atenção do leitor, mas que ao final do livro julgar-se-á natural, porque se verá que todo seu conteúdo é transgressor. Aceito comovido a honra que me confere o mestre da Universidade do País Vasco e trato de estar à altura de tamanha infração, o que constitui um singular desafio.

BOBBIO, Norberto. O futuro da democracia – uma defesa das regras do jogo

O Futuro da Democracia não é um livro de gabinete, pura e simplesmente acadêmico. Os ensaios nele reunidos, escritos para servir ao público que se interessa por política, são textos de combate,desejosos de desfazer equívocos — como o que opõe a democracia direta à democracia representativa ou o que propõe o desmantelamento do welfare state como forma de combater o
“excesso” de Estado — e preocupados em recuperar para o debate os temas e ideais do melhor pensamento político. Procurando combinar a grande tradição liberal com a grande tradição socialista, num delicado equilíbrio entre liberdade e justiça social, estruturam-se como uma
polêmica vibrante e refinada contra a direita reacionária e contra todos os dogmatismos.

HUSEK, C. R. Curso de direito internacional público

“Quem quer que tenha observado a transformação de um agregado casual em
sociedade testemunhará que essa transformação abrange dois processos fundamentais: 1)
acomodação e organização do comportamento dos indivíduos, seus componentes e 2)
desenvolvimento de uma consciência de grupo, um sentimento de unidade. Normalmente, a
transformação começa pela divisão de atividades a determinados indivíduos. Este processo
é muitas vezes inconsciente e freqüentemente se dá por meio de tentativas e erros, até que
os vários membros do agregado encontrem o trabalho que lhes é mais adequado e que
melhor podem executar. À medida que a divisão de atividade se faz e se estabiliza, há um
correspondente aumento de independência dos membros do grupo e um desenvolvimento
de atitudes e padrões de comportamentos habituais. A conduta recíproca dos indivíduos
torna-se cada vez mais previsível e sua cooperação cada vez mais completa e eficiente”
(Ralph Linton, “O Homem – Uma Introdução à Antropologia”

CABEDA, Luiz F. A justiça agoniza

Com o presente texto feito manifesto, Luiz Fernando Cabeda, um i ns id e r que não perdeu a faculdade do olhar estranhado, acode em boa hora para informar sobre um debate confuso, não raramente preso a objetivos políticos de moldar o Estado, mas necessário sobre a reforma do Ju-
diciário brasileiro. Perspectivas e níveis de abstração sucedem-se com rapidez e desenvoltura que desnorteiam apenas na primeira leitura, revelando-se, posteriormente, como estratégia adequada para expor de múltiplas formas uma ferida aberta da nossa sociedade: um Judiciário ago-
nizante que faz entrever a agonia da própria justiça.

RADBRUCH, Gustav. Introdução a filosofia do direito

Gustav Radbruch foi um dos mais importantes juristas do século XX, não só pelas magníficas obras que nos legou, mas, acima de tudo, por extraordinária carga de experiência existencial que acumulou e pela forma como a recolheu e assimilou em suas idéias.
Apontando apenas os dados mais importantes de sua biografia: nasceu a 21 de novembro de 1878, em Lübeck, e faleceu em Heidelberg, a 23 de novembro de 1949, dois dias depois de completar 71 anos de idade. Na vida acadêmica, foi aluno de Direito Penal de Franz v. Liszt e professor de Direito Penal e de Filosofia do Direito nas Universidades de Königsberg, Kiel e Heidelberg. Em 1922 divulgou seu projeto de Código Penal alemão Na vida política, como membro de Partido Social Democrata Alemão (SPD), foi Deputado no Reichstag entre 1920 e 1924, constituinte de Weimar e
Ministro da Justiça (de 1921 a 1923) no gabinete social-democrata.

Action Front – Boyd Cable (Ernest Andrew Ewart)

IN ENEMY HANDS

The last conscious thought in the mind of Private Jock Macalister as hereached the German trench was to get down into it; his next consciousthought to get out of it. Up there on the level there wereuncomfortably many bullets, and even as he leaped on the low parapetone of these struck the top of his forehead, ran deflecting over thecrown of his head, and away. He dropped limp as a pole-axed bullock,slid and rolled helplessly down into the trench.

A Coward – Guy de Maupassant

In society he was called “Handsome Signoles.” His name was Vicomte Gontran-Joseph deSignoles.An orphan, and possessed of an ample fortune, he cut quite a dash, as it is called. He had anattractive appearance and manner, could talk well, had a certain inborn elegance, an air ofpride and nobility, a good mustache, and a tender eye, that always finds favor with women.

BOBBIO, Norberto. Liberalismo e democracia_compressed

A existência de regimes denominados liberal-democráticos ou democráticos liberais leva a crer que liberalismo e democracia são interdependentes. O problema não é tão simples. Decifrar as relações extremamente complexas entre liberalismo e democracia é a tarefa que Norberto Bobbio se impõe. Neste ensaio, o leitor se defrontará com as origens do Estado liberal clássico – de onde derivaram sociedades nas quais a participação no governo se restringe às classes possuidoras -, que foi posto em cheque pelo crescente processo de democratização decorrente da ampliação do direito de voto.

Dos delitos e das penas – Cesare Beccaria

Cesare Beccaria nasceu na cidade de Milão no ano de 1738.
Tendo freqüentado, em Paris, o Colégio dos Jesuítas, estudou,então, Literatura, Filosofia e Matemática.
As leituras das Lettres Persanes de Montesquieu e De L’Esprit de Helvetius muita influência exerceram em sua formação. Suas preocupações, orientadas para o estudo da Filosofia,
levaram-no a fundar a sociedade literária que se formou em Milão e que divulgou os princípios fundamentais da nova Filosofia francesa. Para divulgar, na Itália, as novas idéias, hauridas na
França, Beccaria fez parte daredação do jornal O Café, publicado em 1764.